O Segredo e a lei da atracção

Página 2 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  Tininha em Seg Dez 10, 2012 3:22 pm

A ver se entendi: então pela definição do EGOSUPRI, o pensante é dotado da capacidade de pensador mas pouco a utiliza, porque reaje em instantes. Eu pensei que pensante seria uma extensão de pensador, seria ter a capacidade de agir na sequência da capacidade de pensador. Já percebi a diferença, creio.

Sem querer entrar muito pelas filosofias seria estar a complicar, há outro filósofo, Hegel, que também deu importância ao auto-conhecimento, é desta forma que a pessoa se reconhece. Hegel não foi bem aceite porque procurava reduzir a realidade ao pensamento e na época proliferava a objetividade, o materialismo e empirismo, o que se assemelha um pouco com a actualidade.

Referi isto para voltar outra vez ao tema do tópico, o livro, parece-me que este se assemelha um pouco à situação de Hegel, torna-se desasjustada ou desadequada, porque atribui tal importância ao pensamento, que se esquece de tudo mais à sua volta, que é o real, não basta pensar numa ideia e desejá-la muito, tem de haver racionalismo, equilíbrio.
avatar
Tininha
Avançado
Avançado

Feminino

Número de Mensagens : 80
Reputação : 2
Pontos : 95
Localização : Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  EGOSUPRI em Seg Dez 10, 2012 5:47 pm

Tininha escreveu:A ver se entendi: então pela definição do EGOSUPRI, o pensante é dotado da capacidade de pensador mas pouco a utiliza, porque reaje em instantes. Eu pensei que pensante seria uma extensão de pensador, seria ter a capacidade de agir na sequência da capacidade de pensador. Já percebi a diferença, creio.

Sem querer entrar muito pelas filosofias seria estar a complicar, há outro filósofo, Hegel, que também deu importância ao auto-conhecimento, é desta forma que a pessoa se reconhece. Hegel não foi bem aceite porque procurava reduzir a realidade ao pensamento e na época proliferava a objetividade, o materialismo e empirismo, o que se assemelha um pouco com a actualidade.

Referi isto para voltar outra vez ao tema do tópico, o livro, parece-me que este se assemelha um pouco à situação de Hegel, torna-se desasjustada ou desadequada, porque atribui tal importância ao pensamento, que se esquece de tudo mais à sua volta, que é o real, não basta pensar numa ideia e desejá-la muito, tem de haver racionalismo, equilíbrio.

É isso mesmo Trininha Smile
Já li esse livro e tenho opinião fundamentada sobre tal, que vai muito de acordo com o que amigo Vladions mencionou atrás.
Na verdade, se colocarmos em prática o que lá está escrito conseguimos obter o que desejamos.

O que acha que falta na teoria do Segredo para que seja eficaz? (pergunta para todos os participantes, não apenas para a Tininha)
avatar
EGOSUPRI
Avançado
Avançado

Masculino

Número de Mensagens : 80
Reputação : 3
Pontos : 95
Localização : 4 periodo 4 revolução

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  Tininha em Ter Dez 11, 2012 9:58 am

[quote="EGOSUPRI
Já li esse livro e tenho opinião fundamentada sobre tal, que vai muito de acordo com o que amigo Vladions mencionou atrás.
Na verdade, se colocarmos em prática o que lá está escrito conseguimos obter o que desejamos.

O que acha que falta na teoria do Segredo para que seja eficaz? (pergunta para todos os participantes, não apenas para a Tininha)[/quote]

O que falta? na minha opinião conteúdo verdadeiramente sustentável.

Sem querer ferir susceptibilidades, como já mencionei, acho demasiado marketing comercial e acho que não passa disso. Foi feita uma especulação em torno do livro, e o título dado para aumentar a curiosidade.

No meu caso não foi uma leitura que tenha trazido algo de novo e a meio do livro já se sabe o que se deve fazer, porque se entra sempre pelo mesmo caminho, tipo espiral. Coloquei-o ao nível de uma simples leitura de auto-ajuda, uma leitura para alguém que precisa de umas palavras de esperança ou algo do género. Floreado, e pouco mais.

O que retirei de útil, (sim porque com bom ou mal aprende-se sempre), é o constante apelo que se faz para mudarmos o pensamento e o que este pode influenciar, não deixa de ser algo que a maior parte das pessoas sabe, mas que se esquecem.

Em tempos indicaram-me um outro livro, dentro da mesma linha, se bem me recordo chama-se "Picos e vales", achei o livro bastante simples, sem mediatismo, e muuuuiiiiiito mais útil, porque não refere apenas a importância do pensamento e do que ele é capaz, e do que podemos alcançar. Coloca-nos perante os obstáculos e até falhanços que fazem parte da vida e prepara-nos para, mais cedo ou mais tarde, ter que assumi-los, aceitá-los e lidar com isso. De longe uma leitura mais ajustada e de desenvolvimento pessoal.

Resta dizer que "O Segredo" não consegui acabar de ler, faltou-me o último capítulo, tal enfadada estava, o segundo livro, foi tal a fluidez que li em menos de 1 semana.
avatar
Tininha
Avançado
Avançado

Feminino

Número de Mensagens : 80
Reputação : 2
Pontos : 95
Localização : Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  EGOSUPRI em Ter Dez 11, 2012 2:47 pm

Tininha escreveu:
O que falta? na minha opinião conteúdo verdadeiramente sustentável.

Sem querer ferir susceptibilidades, como já mencionei, acho demasiado marketing comercial e acho que não passa disso. Foi feita uma especulação em torno do livro, e o título dado para aumentar a curiosidade.

No meu caso não foi uma leitura que tenha trazido algo de novo e a meio do livro já se sabe o que se deve fazer, porque se entra sempre pelo mesmo caminho, tipo espiral. Coloquei-o ao nível de uma simples leitura de auto-ajuda, uma leitura para alguém que precisa de umas palavras de esperança ou algo do género. Floreado, e pouco mais.

O que retirei de útil, (sim porque com bom ou mal aprende-se sempre), é o constante apelo que se faz para mudarmos o pensamento e o que este pode influenciar, não deixa de ser algo que a maior parte das pessoas sabe, mas que se esquecem.

Em tempos indicaram-me um outro livro, dentro da mesma linha, se bem me recordo chama-se "Picos e vales", achei o livro bastante simples, sem mediatismo, e muuuuiiiiiito mais útil, porque não refere apenas a importância do pensamento e do que ele é capaz, e do que podemos alcançar. Coloca-nos perante os obstáculos e até falhanços que fazem parte da vida e prepara-nos para, mais cedo ou mais tarde, ter que assumi-los, aceitá-los e lidar com isso. De longe uma leitura mais ajustada e de desenvolvimento pessoal.

Resta dizer que "O Segredo" não consegui acabar de ler, faltou-me o último capítulo, tal enfadada estava, o segundo livro, foi tal a fluidez que li em menos de 1 semana.

Sem dúvida amiga Tininha, uma verdadeira artimanha de marketing.
Mas não podemos negar que é um livro fácil para alguém que nunca tenha lidado com magia. É um resumo de tudo o que é colocado em prática quando queremos colocar em marcha as nossas forças interiores e invisíveis.

Ele ensina como:

Mudar de perspectiva mental em relação ás possibilidades mágicas
Mentalizar de maneira organizada o que se deseja
Visualizar correctamente o que se pretende atrair
Perseguir activamente e fisicamente para que se possa receber
Controlar o estado de espírito de forma a carregar a vontade num único propósito

Estes elementos são básicos para o sucesso de qualquer prática mágica. Os elementos fundamentais estão lá, quem coloca-los em prática com certeza que obterá o que pretende atrair.

Desconheço o livro "Picos e vales" procurarei sobre ele.

LUX
avatar
EGOSUPRI
Avançado
Avançado

Masculino

Número de Mensagens : 80
Reputação : 3
Pontos : 95
Localização : 4 periodo 4 revolução

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  Tininha em Ter Dez 11, 2012 3:02 pm

EGOSUPRI escreveu:

Sem dúvida amiga Tininha, uma verdadeira artimanha de marketing.
Mas não podemos negar que é um livro fácil para alguém que nunca tenha lidado com magia. É um resumo de tudo o que é colocado em prática quando queremos colocar em marcha as nossas forças interiores e invisíveis.

Ele ensina como:

Mudar de perspectiva mental em relação ás possibilidades mágicas
Mentalizar de maneira organizada o que se deseja
Visualizar correctamente o que se pretende atrair
Perseguir activamente e fisicamente para que se possa receber
Controlar o estado de espírito de forma a carregar a vontade num único propósito

Estes elementos são básicos para o sucesso de qualquer prática mágica. Os elementos fundamentais estão lá, quem coloca-los em prática com certeza que obterá o que pretende atrair.

Desconheço o livro "Picos e vales" procurarei sobre ele.

LUX

Caro EGOSUPRI,

Muito bom o seu comentário. Atrevo-me a dizer o que fez a diferença de análises: depende sob que olhar é visto. O amigo EGOSUPRI associou-o à magia, eu não tiro os pés da terra, vi-o mais à luz da psicologia, crescimento pessoal e práticas meditativas. Parece-me haver assim um consenso.

Grata, cumpts.
avatar
Tininha
Avançado
Avançado

Feminino

Número de Mensagens : 80
Reputação : 2
Pontos : 95
Localização : Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  Malux em Qua Dez 12, 2012 11:16 pm

Não pensei que neste curso espaço tempo houvesse tantos comentários, isto tava tão parado. Não vai dar para responder a tudo.

Sim concordo que é melhor começarmos a definirmos as palavras, senão cada um fala para seu lado e ninguém se entende.


Tininha escreveu:Olá Malux,

Vou
continuar com esta troca de impressões, é que achei as tuas observações
e conceitos um tanto confusos, espero que não leves a mal a forma como
vou observar, é mesmo numa de trocarmos pontos de vista :


Referes que não acreditas em lei do retorno, mas os teus exemplos são contraditórios:

“Quem utiliza magia negra (no sentido tradicional terma) frequentemente recebe retorno, não porque existe um universo moral,
mas pk quem brinca com o fogo acaba por se queimar.
Se alguém invoca energias destructivas para fazer mal alguém, senão tiveres cuidado pode transbordar para si mesmo.”


Segundo
me parece, acreditas que quem faz magia negra tem retorno, porque apela
a forças de má índole ou zombeteiras, que se não conseguirem
concretizar o objectivo, voltam para quem os invocou.



Tu quando mexes com fogo queimaste sempre? Só te queimas senão houver cuidado, então não há obrigatoriamente retorno.


EGOSUPRI escreveu:

Malux escreveu:O karma para mim é um mecanismo de adormentamento (http://bemfalar.com/significado/adormentamento.html).
Eu posso expor um caso hipotético onde poderia acontecer uma situação similar de adormentamento.

Imagina que trabalhas numa empresa e descobres que o colega de trabalho está a roubar a empresa, e pensas com os teus botões
"ah é melhor não fazer nada, as autoridades vão descobrir mais cedo ou mais tarde. Se eu agir, ainda sobra para mim."
A tua acção passou por optares por te colocares em stand by e adormeceres, e esperares que uma força superior de índole universal
resolvesse a situação. O que tu fizeste foi racionalizar a tua escolha emocional que foi baseada no medo. Ser 'good guy' não é fácil e não basta ter só boas intenções.


Isso não é Karma. É a decisão pessoal que cada um pode ou não tomar. Karma = acção, Acção (passiva ou activa) que gera sempre uma reacção que por sua vez será causa de uma segunda reacção. Por outras letras: efeito bola de neve. Acho que o Malux está a confundir o conceito com a prática e isso deixa-o confundido. Se acredita em causa consequência também acredita em Karma, pois são a mesma coisa.

Nesse exemplo não queria dar um exemplo de karma.
Eu só queria comparar com a passividade de deixar de fazer uma boa acção por medo com o medo de deixar de agir por causa de consequências kármicas.
Ambas a atitudes não produzem mais justiça e conduzem a passividade.
Afinal qual é vantagem de ter conhecimento da lei kármica?
Parece-me que vantagem é interesse pessoal, evitar más acções para não ser punido.
A Índia é um dos paises onde crença kármica é predominante e também é um dos paises onde há mais diferenças entre classes sociais.
Quem nasce numa casta mais pobre pensa que o mereceu por causa de supostas más acções de vidas anteriores e não faz nada para mudar a sua situação (conformismo).
De igual a ideia de karma pode levá-los a pensar que as pessoas da casta mais rica merecem o lanche delas porque provavelmente foram umas pessoas exemplares numa vida passada.
Segundo a filosofia kármica se outra pessoa comete uma má acção contra famíia, tu não deves fazer nada porque o karma fará a justiça por ti (mais passividade, mais injustiça).

Vamos definir o karma. Ele vale só nesta vida ou vale para vidas posteriores?
Quanto tempo demora o karma a fazer efeito?
O conceito de karma pode não ser simplista mas se ele têm um grau de complexidade tão grande para os meros humanos compreenderem e se ele trabalha por formas misteriosas e desconhecidas, então prefiro fazer como o epícuro e deixar este assunto entre os deuses.

O proposito da lei de karma é corrigir a conduta humana ou somente uma mecanismo punitivo que visa punir os mazoes? Se têm outro proposito qual? Não têm proposito?

Quando eu dou o pontapé em alguém, quem é árbitro ou juiz que avalia a situação e verifica a quantidade de karma que eu recebo como feedback?

Não concordo que causa-efeito seja a mesma coisa que karma.
Há muitos serials killers que nunca foram descobertos após matarem mais de 20 pessoas da forma mais cruel possivél. Onde está o efeito nestes casos?

EGOSUPRI escreveu:
Quero perguntar ao amigo Malux o que ele entende
por "moral". Já que o Universo, resultante de forças celestes
abstractas, foram a Causa do que todos nós podemos contemplar como
Universo físico, ou mundo hílico. E porquê que tantos autores,
estudiosos da Kabbalah definiram a segunda região como Mundo Moral, por
exemplo Mcgragor Mathers. Para quem está dentro do assunto, no ocultismo
nada é ao acaso.
EGOSUPRI

Nos dias que correm só utilizo a parte simbólica da kabbalah sem a componente moral.
O
que Mathers pensava não me interessa muito pk pelo que me consta ele
não regulava muito bem da tola, e nem sequer demonstrou ter uma "boa
moral" quando supostamente matou os caes do Crowley com uma suposta maldição.

O que é moral? É que o distingue o certo e errado. Se tu te atirares de uma falésia, indepentemente de seres boa ou má pessoa, vais ser esmagado lá em baixo e pois isso é indiferente para o universo. Se o Universo ou algum ser superior se preocupasse contigo fazia-te levitar.

___________________________________
"Ó homem, conhece-te a ti mesmo e conhecerás os deuses e o universo"
avatar
Malux
Mestre
Mestre

Moderador | Mérito Qualidade |
Masculino

Número de Mensagens : 285
Reputação : 8
Pontos : 391
Localização : Lisboa

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  EGOSUPRI em Qui Dez 13, 2012 2:35 am

Malux escreveu: Tu quando mexes com fogo queimaste sempre? Só te queimas senão houver cuidado, então não há obrigatoriamente retorno.

Amigo Malux, Karma é somente acção. Se brincar com o fogo pode não queimar-se mas com certeza haverá qualquer outra coisa que voltará como reacção a essa acção. Por exemplo sentir-se entretido, sentir o calor da chama. Agradável ou não há sempre um retorno. O problema de hoje em dia é falar-se somente do Karma como um agente metafisico punidor, ele não é apenas isso. Ele é causa-consequência fisicamente e em todos os planos, felicidade e infelicidade astralmente, ignorância e sabedoria mentalmente, escuridão e iluminação espiritualmente, por aí adiante..

Malux escreveu:

Nesse exemplo não queria dar um exemplo de karma.
Eu só queria comparar com a passividade de deixar de fazer uma boa acção por medo com o medo de deixar de agir por causa de consequências kármicas.
Ambas a atitudes não produzem mais justiça e conduzem a passividade.
Afinal qual é vantagem de ter conhecimento da lei kármica?
Parece-me que vantagem é interesse pessoal, evitar más acções para não ser punido.
A Índia é um dos paises onde crença kármica é predominante e também é um dos paises onde há mais diferenças entre classes sociais.
Quem nasce numa casta mais pobre pensa que o mereceu por causa de supostas más acções de vidas anteriores e não faz nada para mudar a sua situação (conformismo).
De igual a ideia de karma pode levá-los a pensar que as pessoas da casta mais rica merecem o lanche delas porque provavelmente foram umas pessoas exemplares numa vida passada.
Segundo a filosofia kármica se outra pessoa comete uma má acção contra famíia, tu não deves fazer nada porque o karma fará a justiça por ti (mais passividade, mais injustiça).

Vamos definir o karma. Ele vale só nesta vida ou vale para vidas posteriores?
Quanto tempo demora o karma a fazer efeito?
O conceito de karma pode não ser simplista mas se ele têm um grau de complexidade tão grande para os meros humanos compreenderem e se ele trabalha por formas misteriosas e desconhecidas, então prefiro fazer como o epícuro e deixar este assunto entre os deuses.

O proposito da lei de karma é corrigir a conduta humana ou somente uma mecanismo punitivo que visa punir os mazoes? Se têm outro proposito qual? Não têm proposito?

Quando eu dou o pontapé em alguém, quem é árbitro ou juiz que avalia a situação e verifica a quantidade de karma que eu recebo como feedback?

Não concordo que causa-efeito seja a mesma coisa que karma.
Há muitos serials killers que nunca foram descobertos após matarem mais de 20 pessoas da forma mais cruel possivél. Onde está o efeito nestes casos?

Qual a vantagem do conhecimento da lei do Karma? Depende, se for para alguém que não quer assumir responsabilidade alguma, realmente não há vantagem nenhuma.
Mas para quem deseja conhecer o Universo e as suas diversas manifestações, então conhecer o Karma será como conhecer a Grande Obra do Criador, pois tudo começou com uma acção primordial que resultou em tudo aquilo que podemos e não podemos ver.
O estudo do Karma leva-nos a patamares extraordinários, bem elevados do nosso mundinho e dos supostos problemas que giram em torno dos confortos
da raça humana. Aquele que compreende o que está em cima, domina o que está abaixo, porque inevitavelmente eleva a sua própria condição. A compreensão do Karma depende do observador. Será que um esquadro tem o mesmo valor para um arquitecto profissional e para um professor de história? Obviamente que não. O arquitecto consegue desenhar imensos edifícios, consegue fazer magia ao pé do professor de história. Ambos têm mentes criativas vocacionadas para níveis diferentes. Infelizmente
passa-se o mesmo em relação ao Karma, existem muitos professores de esquadro na mão que pouco proveito tiram da ferramenta, e claro surgem abominações terrificas como as que o amigo Malux referiu na Índia.
Deixar o assunto entre os Deuses, para mim, é afastar-nos deles. Isso sim, é adormentamento evolutivo.

Malux escreveu:
Nos dias que correm só utilizo a parte simbólica da kabbalah sem a componente moral.
O que Mathers pensava não me interessa muito pk pelo que me consta ele
não regulava muito bem da tola, e nem sequer demonstrou ter uma "boa
moral" quando supostamente matou os caes do Crowley com uma suposta maldição.

Não é só Mathers, humano falível como todos nós, mas muitos outros. Eliphas Levi, Dion Fortune, Louis-Claude de Saint-Martin, Martinez de Pasqually, Max Heindel, Wiliam What, Barão de Kirchberger, Pantajali, entre muitos, muitos outros. Se os referisse todos nunca mais acabaria de escrever esta mensagem.

Malux escreveu:
O que é moral? É que o distingue o certo e errado. Se tu te atirares de uma falésia, indepentemente de seres boa ou má pessoa, vais ser esmagado lá em baixo e pois isso é indiferente para o universo. Se o Universo ou algum ser superior se preocupasse contigo fazia-te levitar.

Se acaso o Malux fizesse isso estaria a usar o seu livre-arbítrio e o karma que acarretaria fisicamente seria a sua morte física, quanto aos outros planos do seu ser, isso sim, é matéria para debate! Laughing

LUX,

EGOSUPRI
avatar
EGOSUPRI
Avançado
Avançado

Masculino

Número de Mensagens : 80
Reputação : 3
Pontos : 95
Localização : 4 periodo 4 revolução

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  Malux em Qui Dez 13, 2012 10:59 am

Eu ainda fiquei sem uma definição clara sobre o que é a lei karma.
A lei da gravidade está bem estudada, os seus fenomenos quantificados e é possivél prever com grande certeza o que irá suceder a um corpo após o deixar sob o efeito da gravidade. Sei, por exemplo, que a gravidade vai exercer mais força sobre um corpo se ele tiver mais massa (que é quantificavél).
Se a lei karma é um conceito abstracto, senão possivél é quantificar o que vou obter como retorno após determinada acção e daqui a quanto tempo então o meu conhecimento sobre ela é inútil.

É muito conveniente dizer que quando um mauzão vive há grande e francesa neste mundo (como existem muitos) só irá receber o efeito kármico na vida posterior.
Quer dizer, a electricidade, o magnetismo, a gravidade, são coisas que produzem efeitos quase imediatos.
Então voltamos a mesma situação. o que é karma? Os seus efeitos só funcionam nesta vida? Os efeitos retardam e só têm efeito na vida posterior? Quanto tempo demora um efeito kármico a se produzir?


EGOSUPRI escreveu:

Malux escreveu:
O que é moral? É que o distingue o certo e errado. Se tu te atirares de uma falésia, indepentemente de seres boa ou má pessoa, vais ser esmagado lá em baixo e pois isso é indiferente para o universo. Se o Universo ou algum ser superior se preocupasse contigo fazia-te levitar.

Se acaso o Malux fizesse isso estaria a usar o seu livre-arbítrio e o karma que acarretaria fisicamente seria a sua morte física, quanto aos outros planos do seu ser, isso sim, é matéria para debate! Laughing

LUX,

EGOSUPRI

Ok, então vou dar outro exemplo.
Conheci uma pessoa que era exemplar do ponto vista moral e teve uma morte brutal num acidente de automovél. Não foi ela que ia com excesso de velocidade, foi outro carro que veio por trâs e bateu-lhe.

Pressumo que crianças que sofrem violência doméstica ou são violadas têm um mau karma de uma vida anterior. Isto é correcto?

___________________________________
"Ó homem, conhece-te a ti mesmo e conhecerás os deuses e o universo"
avatar
Malux
Mestre
Mestre

Moderador | Mérito Qualidade |
Masculino

Número de Mensagens : 285
Reputação : 8
Pontos : 391
Localização : Lisboa

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  Tininha em Qui Dez 13, 2012 11:22 am

Malux escreveu:

Tu quando mexes com fogo queimaste sempre? Só te queimas senão houver cuidado, então não há obrigatoriamente retorno.


Amigo Malux, continuo a achar os teus argumentos um tanto confusos (Na PAZ), por vezes há que separar um pouco as coisas ou ver uma de cada vez.

Tenho uma opinião relativamente à utilização da magia, muito fechada. Quando se usa magia negra nunca é para o bem. É sempre com intenção de obter qualquer coisa pela via "mais fácil". Vê o caso das amarrações que tanto se pedem, deve ser dos maiores "sucessos" desta área. Apela-se sempre a entidades de baixa índole, porque duvido que uma entidade boa respondesse ao apelo. O que se faz quando se mexe no fogo, é que o acendes. Se a pessoa a quem foi destinado o trabalho estiver protegida, a partir do momento em que cá estão, vão ter que "queimar" alguém.É um exemplo: se a questão do retorno ou coisa idêntica não ocorresse, então usava-se magia negra a torto e a direito, para se obter o que fosse necessário.

Já que mencionas várias vezes a justiça/injustica, coloca-te numa situação destas, se alguém te fizesse mal através da magia, não seria injusto também?

"Nesse exemplo não queria dar um exemplo de karma.
Eu só queria comparar com a passividade de deixar de fazer uma boa acção por medo com o medo de deixar de agir por causa de consequências kármicas.
Ambas a atitudes não produzem mais justiça e conduzem a passividade.
Afinal qual é vantagem de ter conhecimento da lei kármica?
Parece-me que vantagem é interesse pessoal, evitar más acções para não ser punido.
A Índia é um dos paises onde crença kármica é predominante e também é um dos paises onde há mais diferenças entre classes sociais.
Quem nasce numa casta mais pobre pensa que o mereceu por causa de supostas más acções de vidas anteriores e não faz nada para mudar a sua situação (conformismo).
De igual a ideia de karma pode levá-los a pensar que as pessoas da casta mais rica merecem o lanche delas porque provavelmente foram umas pessoas exemplares numa vida passada.
Segundo a filosofia kármica se outra pessoa comete uma má acção contra famíia, tu não deves fazer nada porque o karma fará a justiça por ti (mais passividade, mais injustiça)."

Porque é como referes,
são situações de interesses. Repara também nas guerras cristãs, no terrorismo, nos kamikazes... deriva do quê? lavagens cerebrais? Tens também exemplos de religiões extremistas que discordam e condenam actos da sua própria religião. E porquê? talvez porque tiveram contacto com outras mentalidades, outras culturas e lhes tinha sido passada mais informação que não responde à realidade que outros pintam.

Por vezes um bom acto, gera outro, no caso do livro, bons pensamentos geram mais bons pensamentos. Não acredito que se fizerem algo por ti, respondas mal. O problema é que as pessoas querem ficar "sempre por cima", quando alguém manda uma pedra atacamos com meia dúzia delas e por aí fora...

Deixa-me dizer que entendo quando te referes à injustiça social, acredita que pessoalmente tenho sido muito prejudicada por não me calar ou actuar quando entendo necessário, é uma forma de estar na vida, é uma escolha que fazes.

"O que é moral? É que o distingue o certo e errado. Se tu te atirares de uma falésia, indepentemente de seres boa ou má pessoa, vais ser esmagado lá em baixo e pois isso é indiferente para o universo. Se o Universo ou algum ser superior se preocupasse contigo fazia-te levitar."

Não necessáriamente. Quem nos diz a nós que o universo ou ser superior já actuou, demovendo a pessoa da ideia de se atirar da falésia, ou tentando recuar ? E o livre arbítrio onde fica? No fim não é uma escolha pessoal?
avatar
Tininha
Avançado
Avançado

Feminino

Número de Mensagens : 80
Reputação : 2
Pontos : 95
Localização : Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  EGOSUPRI em Qui Dez 13, 2012 11:51 am

Malux escreveu:Eu ainda fiquei sem uma definição clara sobre o que é a lei karma.
A lei da gravidade está bem estudada, os seus fenomenos quantificados e é possivél prever com grande certeza o que irá suceder a um corpo após o deixar sob o efeito da gravidade. Sei, por exemplo, que a gravidade vai exercer mais força sobre um corpo se ele tiver mais massa (que é quantificavél).
Se a lei karma é um conceito abstracto, senão possivél é quantificar o que vou obter como retorno após determinada acção e daqui a quanto tempo então o meu conhecimento sobre ela é inútil.

É muito conveniente dizer que quando um mauzão vive há grande e francesa neste mundo (como existem muitos) só irá receber o efeito kármico na vida posterior.
Quer dizer, a electricidade, o magnetismo, a gravidade, são coisas que produzem efeitos quase imediatos.
Então voltamos a mesma situação. o que é karma? Os seus efeitos só funcionam nesta vida? Os efeitos retardam e só têm efeito na vida posterior? Quanto tempo demora um efeito kármico a se produzir?


Lei do Karma - acção, choque e reacção/retorno.
A lei da gravidade é uma manifestação física por isso medível e inteligivel como o amigo Malux referiu no entanto a Lei da Gravidade não é originada ao acaso, noutros planos ela tem outras manifestações diferentes das que produz a nivel físico. Já o Karma é uma lei anterior a essa, ela encontra-se de mãos dadas com o "FIAT LUX", só a partir daí é que vêm restantes emanações ou manifestações se preferir. Estou a fazer-me entender? Daí a importância.
O Malux continua a falar do Karma num só aspecto - físico/social. E é claro que se assim continuar não encontrará nada de invulgar nessa lei.

Uma pessoa boazinha geralmente sempre sofre mais que uma mázinha, veja-se os Nobel da Paz, é tão estranho não é? Parece que o sofrimento une-os! Veja-se o exemplo de Jesus o Cristo, veja-se Abrão, repare bem em todas as personalidades genuinamente místicas e espirituais, todas elas sofreram e no entanto eram pessoas maravilhosas!
E pegando no seu exemplo do "mauzão " e sua punição, porque haveria de pagar somente noutras vidas. Os valores são diferentes de pessoa para pessoa e garanto-lhe que esse mauzão só o é porque é infeliz, de udo aquilo que pode enfeitar-se perante nossos olhos para ele pode ser simples poeira, lá por ostentar riqueza, escapar à prisão, doenças e outras sortes, não quer dizer que ele não esteja já a sentir os efeitos das suas acções. Repare como as personalidades sofridas e genuinamente ternas são felizes e preenchidas, mesmo na miséria e no meio do sofrimento - observe a Madre Tereza de Calcutá, S. Francisco de Assis, Príncipe Siddhartha Guatama, etc.

No pós-morte, claro que todas essas acções produzirão reacções. Claro que sim, a pessoa sentirá o eco dos seus próprios feitos, sentimentos e pensamentos. As acções são o mural da alma, ora a edificam ora a destroem. Veja-se a similaridade da palavra moral e mural. Mural que cerca, que protege, que separa, que limita; Moral modo de viver, conjunto de costumes. Ter moral é ter um modo de vida bem vincado onde existe um limite, uma cerca, uma barreira entre aquilo que é moral (correcto e bom) do que é imoral.

Malux escreveu:

Ok, então vou dar outro exemplo.
Conheci uma pessoa que era exemplar do ponto vista moral e teve uma morte brutal num acidente de automovél. Não foi ela que ia com excesso de velocidade, foi outro carro que veio por trâs e bateu-lhe.

Pressumo que crianças que sofrem violência doméstica ou são violadas têm um mau karma de uma vida anterior. Isto é correcto?

Quanto ao seu amigo, penso já ter respondido acima.
O Karma é uma força cega, é "imoral" se assim preferir. Apenas age, não olha a sexo, idade, crença religiosa ou clube de futebol Laughing. Todos nós precisamos passar por certas lições que só podem ser aprendidas através do sofrimento.
Lembre-se de que quem é molestado sexualmente tende a ser molestador. Lembre-se também que a prática da pedofilia está na humanidade há muito tempo, provavelmente desde que ela existe, uma lástima. Algo que o ser Humano ainda não conseguiu vencer e suprimir. Quem lhe diz a si que a criança molestada já não foi um molestador?
avatar
EGOSUPRI
Avançado
Avançado

Masculino

Número de Mensagens : 80
Reputação : 3
Pontos : 95
Localização : 4 periodo 4 revolução

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  Tininha em Qui Dez 13, 2012 12:57 pm

Malux escreveu:Eu ainda fiquei sem uma definição clara sobre o que é a lei karma.
A lei da gravidade está bem estudada, os seus fenomenos quantificados e é possivél prever com grande certeza o que irá suceder a um corpo após o deixar sob o efeito da gravidade. Sei, por exemplo, que a gravidade vai exercer mais força sobre um corpo se ele tiver mais massa (que é quantificavél).
Se a lei karma é um conceito abstracto, senão possivél é quantificar o que vou obter como retorno após determinada acção e daqui a quanto tempo então o meu conhecimento sobre ela é inútil.

É muito conveniente dizer que quando um mauzão vive há grande e francesa neste mundo (como existem muitos) só irá receber o efeito kármico na vida posterior.
Quer dizer, a electricidade, o magnetismo, a gravidade, são coisas que produzem efeitos quase imediatos.
Então voltamos a mesma situação. o que é karma? Os seus efeitos só funcionam nesta vida? Os efeitos retardam e só têm efeito na vida posterior? Quanto tempo demora um efeito kármico a se produzir?

Ok, então vou dar outro exemplo.
Conheci uma pessoa que era exemplar do ponto vista moral e teve uma morte brutal num acidente de automovél. Não foi ela que ia com excesso de velocidade, foi outro carro que veio por trâs e bateu-lhe.

Pressumo que crianças que sofrem violência doméstica ou são violadas têm um mau karma de uma vida anterior. Isto é correcto?

Postamos em simultâneo, só agora vejo este último comentário e acho que que já entendi a pretensão do Malux.

Lei do retorno e Karma são definições diferentes. Aliás tanto quanto sei até o conceito de Karma tem visões diferentes no ocidente e no oriente.

Em todo o caso, sinceramente não acredito em Karma (pelo menos também não fiquei convencida que exista, dado a complexidade de tudo o que teria que acontecer para as pessoas pagarem pelo Karma), mas acredito em simples lei do retorno, ou seja, os actos podem ter consequências, por isso, um violador ou agressor pode pagar pelos actos. Entendo agora quando se refere a passividade. Mas lá está, a pessoa que comete pode ser castigada. E há casos piores, psicopatas, que são muito engenhosos, mas há estudos acerca destas pessoas, estudos que estão a evoluir. A pessoa que provocou o acidente de automóvel não foi presa? Como recordas a pessoa que morreu, sempre com boas recordações certamente e o mais certo é lembrares muitas vezes pelas melhores razões. São pequenas coisas que realmente acontecem, não estou a dizer com isto que se conforma ou resigne, mas que se encara.

Aliás, as sociedades passivas que aceitam certas leis, acabam por não evoluir, e não é só com a questão do Karma, vide por exemplo quando a Inquisição governou, é certo que houve algum progresso, mas este regrediu bastante, e teorias e as leis foram feitas à sua imagem apesar de se saber que não estavam certas. Alguns morreram a defender teorias, outros como Galileu que acediam para não serem mortos, mas continuaram com o estudo e obra em sigilo, e ainda bem. A aceitação pode ser um pau de dois bicos.

Ninguém nos diz que o mauzão que apontas, não pague por tal: a maior parte das pessoas ricas que conheço e tenho a oportunidade de lidar com elas, de certeza que são infelizes, têm tudo, mas o pouco que um pobre tem, ou cobiça ou não queria que o tivesse, amigos são duvidosos e mesmo amores aproximam por interesse, e vivem nessa incerteza e desconfiança. E quais as companhias mais prováveis desse mauzão? provavelmente outros mauzões como ele. É um preço que paga. Não se sabe até que ponto sucede ou não, e por vezes uma coisa má esconde algo bom.



EGOSUPRI, o exemplo do Nobel da Paz, mal lembrado (desculpe mas é a minha opinião), parece-me uma injustiça ter sido entregue à Europa. Uma irrealidade. O que me recordo mais , foi quando entregue a Madre Teresa de Calcutá que recusou um jantar de comemoração e indicou que dessem a comida aos pobres, em contraste com a congratulação dos dirigentes da UE.
avatar
Tininha
Avançado
Avançado

Feminino

Número de Mensagens : 80
Reputação : 2
Pontos : 95
Localização : Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  Malux em Qui Dez 13, 2012 1:49 pm

EGOSUPRI escreveu:



Uma pessoa boazinha geralmente sempre sofre mais que uma mázinha, veja-se os Nobel da Paz, é tão estranho não é? Parece que o sofrimento une-os! Veja-se o exemplo de Jesus o Cristo, veja-se Abrão, repare bem em todas as personalidades genuinamente místicas e espirituais, todas elas sofreram e no entanto eram pessoas maravilhosas!
E pegando no seu exemplo do "mauzão " e sua punição, porque haveria de pagar somente noutras vidas. Os valores são diferentes de pessoa para pessoa e garanto-lhe que esse mauzão só o é porque é infeliz, de udo aquilo que pode enfeitar-se perante nossos olhos para ele pode ser simples poeira, lá por ostentar riqueza, escapar à prisão, doenças e outras sortes, não quer dizer que ele não esteja já a sentir os efeitos das suas acções. Repare como as personalidades sofridas e genuinamente ternas são felizes e preenchidas, mesmo na miséria e no meio do sofrimento - observe a Madre Tereza de Calcutá, S. Francisco de Assis, Príncipe Siddhartha Guatama, etc.
...

A Madre Tereza Calcutá foi um bom exemplo até pk há registos dela quando esteve viva.
Essas pessoas conseguem viver no meio do sofrimento não é devido a serem bonzinhas, mas porque são fortes e não se deixam abater com pouco.

Mas e de Cristo e do Príncipe Siddhartha Guatama?
Nada me garante que eles tenham sido felizes.

E deste Abrão como exemplo? Pelo amor de deus, Abrão foi umas figuras lendarias mais maquivelicas criadas até então. Abrão estava disposto a sacrificar o próprio filho só porque um deus lhe disse.


EGOSUPRI escreveu:
Malux escreveu:

Ok, então vou dar outro exemplo.
Conheci uma pessoa que era exemplar do ponto vista moral e teve uma morte brutal num acidente de automovél. Não foi ela que ia com excesso de velocidade, foi outro carro que veio por trâs e bateu-lhe.

Pressumo que crianças que sofrem violência doméstica ou são violadas têm um mau karma de uma vida anterior. Isto é correcto?

Quanto ao seu amigo, penso já ter respondido acima.
O Karma é uma força cega, é "imoral" se assim preferir. Apenas age, não olha a sexo, idade, crença religiosa ou clube de futebol Laughing. Todos nós precisamos passar por certas lições que só podem ser aprendidas através do sofrimento.
Lembre-se de que quem é molestado sexualmente tende a ser molestador. Lembre-se também que a prática da pedofilia está na humanidade há muito tempo, provavelmente desde que ela existe, uma lástima. Algo que o ser Humano ainda não conseguiu vencer e suprimir. Quem lhe diz a si que a criança molestada já não foi um molestador?

Lol, qual é a lição que se apreende em se ser esmagado num acidente de automovél?
É verdade que o sofrimento pode ensinar lições mas é em circunstâncias ligeiramente diferente.
Se eu meto uma mau no fogo doi, e sei que na próxima vez devo evitar colocar a mão no fogo.
Ai está para apreender é necessário memória.

Como encarnações podem ensinar lições a vidas posteriores?
Só 99,999 % das pessoas não têm recordações de vidas posteriores.
Como criança que está a ser violada sabe que está a ser violado porque violou alguém numa vida anterior? Se ela não têm forma de saber, então ficamos só com um karma punitivo que não serve para ensinar lições.

E se o sofrimento é necessário para as pessoas apreenderem algumas lições porque devo ser penalizado quando dou sofrimento alguém?
De facto é bom que uma pessoa encontra idiotas cedo na vida para apreender a como lidar com eles mais tarde.
E se eu mimo uma pessoa só com bons tratos não estaria possivelmente a estraga-lá?

Quem decide o que é certo e errado? Dado que há um grau de variação de certo e errado para cada pessoa como sei o que é certo e errado para outra pessoa?
A outra pessoa até pode ser sadomasoquista e ter prazer com sofrimento.

___________________________________
"Ó homem, conhece-te a ti mesmo e conhecerás os deuses e o universo"
avatar
Malux
Mestre
Mestre

Moderador | Mérito Qualidade |
Masculino

Número de Mensagens : 285
Reputação : 8
Pontos : 391
Localização : Lisboa

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  EGOSUPRI em Qui Dez 13, 2012 2:04 pm

Tininha escreveu:
EGOSUPRI, o exemplo do Nobel da Paz, mal lembrado (desculpe mas é a minha opinião), parece-me uma injustiça ter sido entregue à Europa. Uma irrealidade. O que me recordo mais , foi quando entregue a Madre Teresa de Calcutá que recusou um jantar de comemoração e indicou que dessem a comida aos pobres, em contraste com a congratulação dos dirigentes da UE.

Não referi um Nobel da Paz, mas todas as pessoas que ganharam o reconhecimento. Presumi que a amiga Tininha e o amigo Malux seleccionassem aqueles que o foram verdadeiramente e não aqueles que são elegidos por diversas simpatias e interesses. Concordo plenamente consigo quanto ao ultimo.
avatar
EGOSUPRI
Avançado
Avançado

Masculino

Número de Mensagens : 80
Reputação : 3
Pontos : 95
Localização : 4 periodo 4 revolução

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  EGOSUPRI em Qui Dez 13, 2012 2:26 pm

Malux escreveu:

A Madre Tereza Calcutá foi um bom exemplo até pk há registos dela quando esteve viva.
Essas pessoas conseguem viver no meio do sofrimento não é devido a serem bonzinhas, mas porque são fortes e não se deixam abater com pouco.

Mas e de Cristo e do Príncipe Siddhartha Guatama?
Nada me garante que eles tenham sido felizes.

E deste Abrão como exemplo? Pelo amor de deus, Abrão foi umas figuras lendarias mais maquivelicas criadas até então. Abrão estava disposto a sacrificar o próprio filho só porque um deus lhe disse.

Pessoas como a Madre Tereza de Calcutá são movidas pelo amor, que as vivifica e as fortifica.
Quanto a Cristo, Siddhartha e Abrão, pessoas de carne e osso ou símbolos encriptados, não interessa. A referencia foi simbólica, tendo em conta os mitos associados aos mesmos. Pensei que compreendesse onde queria chegar, na minha opinião só não chega porque não quer. Vejo que está incomodado com as minhas respostas, não é isso que pretendo, nem tão-pouco converte-lo ao meu conceito. Quero apenas fazê-lo compreender, coisa que só conseguirei se o amigo Malux afastar-se do básico e redundante.

Malux escreveu:

Lol, qual é a lição que se apreende em se ser esmagado num acidente de automovél?
É verdade que o sofrimento pode ensinar lições mas é em circunstâncias ligeiramente diferente.
Se eu meto uma mau no fogo doi, e sei que na próxima vez devo evitar colocar a mão no fogo.
Ai está para apreender é necessário memória.

Como encarnações podem ensinar lições a vidas posteriores?
Só 99,999 % das pessoas não têm recordações de vidas posteriores.
Como criança que está a ser violada sabe que está a ser violado porque violou alguém numa vida anterior? Se ela não têm forma de saber, então ficamos só com um karma punitivo que não serve para ensinar lições.

E se o sofrimento é necessário para as pessoas apreenderem algumas lições porque devo ser penalizado quando dou sofrimento alguém?
De facto é bom que uma pessoa encontra idiotas cedo na vida para apreender a como lidar com eles mais tarde.
E se eu mimo uma pessoa só com bons tratos não estaria possivelmente a estraga-lá?

Quem decide o que é certo e errado? Dado que há um grau de variação de certo e errado para cada pessoa como sei o que é certo e errado para outra pessoa?
A outra pessoa até pode ser sadomasoquista e ter prazer com sofrimento.

Então o amigo acha que só o consciente importa? Deixe-me lembrá-lo que o inconsciente tem uma capacidade de retenção muito maior e um campo de actividade muito maior do que as faculdades conscientes. Quando passa por uma experiência poderá lembrar-se dela, mas se acedesse ao inconsciente viveria-a intensamente como da primeira vez! Veja os casos da hipnoterapia e da psicanálise. Obviamente que se existe um armanesamento destes no Homem, também o há no Universo, uma vez que somos miniaturas do mesmo, um microcosmos. A este registo na tradição chama-se Akasha, ou Registo Akashico ou Memória da Natureza. Todas essas experiências ficam guardadas e têm aproveitamento em vários níveis, não só no físico. O seu amigo terá outro aproveitamento, não aqui mas noutro plano. Para mais lhe digo que existe a teoria de que quando uma pessoa cumpre uma determinada função, sucumbe. Precisa de sucumbir para poder passar a outro nível na escada hierárquica da evolução.
Está demasiado preso a feridas do passado para abraçar uma visão exterior ao seu próprio circulo, para compreender o abstracto, tem que abstrair-se de sentimentos e das sensações. Esse é o mundo das sombras, das consequências. O mundo das Causas, da luz, esse está muito além dessas rudes concepções.

PAX
avatar
EGOSUPRI
Avançado
Avançado

Masculino

Número de Mensagens : 80
Reputação : 3
Pontos : 95
Localização : 4 periodo 4 revolução

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  Tininha em Qui Dez 13, 2012 3:02 pm

[quote="EGOSUPRI]

Não referi um Nobel da Paz, mas todas as pessoas que ganharam o reconhecimento. Presumi que a amiga Tininha e o amigo Malux seleccionassem aqueles que o foram verdadeiramente e não aqueles que são elegidos por diversas simpatias e interesses. Concordo plenamente consigo quanto ao ultimo.[/quote]

Entendi a sua ideia. A minha resposta foi dada após ver algumas matérias do estado miserável da Europa, fruto sabe-se do quê. A partir do momento que o Nobel da Paz é seleccionado por critérios convenientes, cai completamente em descrédito. Indica não só a vergonha de critérios, e duvido que quem faz a selecção não saiba da realidade dos habitantes, se o sabe não está apto para ter feito tal trabalho.



"Lembre-se de que quem é molestado sexualmente tende a ser molestador. Lembre-se também que a prática da pedofilia está na humanidade há muito tempo, provavelmente desde que ela existe, uma lástima. Algo que o ser Humano ainda não conseguiu vencer e suprimir. Quem lhe diz a si que a criança molestada já não foi um molestador?"


Concordo que é no sofrimento que as pessoas mais se costumam ouvir e aprender e por isso devem passar por eles, e sei que há pessoas que sofrem na pele e tiram como exemplo para não fazer, mas não se faz pagar um erro por outro exactamente igual, então mal da lei divina ou do Universo, mas reparar o mal que se fez. E se fosse assim tão certo com certeza que se fariam muitas mais regressões a vidas passadas, e essa abordagem pouco é colocada em prática.

Não sei se isto se pode assemelhar a quando as pessoas atribuem as culpas das catástrofes, mortes a Deus. Mas alguma vez Deus iria querer um pagamento assim? Então iria descer e assemelhar-se ao Homem, a Sua bondade não é infinita? Com certeza teria sabedoria para ensinar (castigar) de outra maneira, que não causar sofrimento a quem ainda não tem capacidade para reflectir e arrepender.

Cumpts.
avatar
Tininha
Avançado
Avançado

Feminino

Número de Mensagens : 80
Reputação : 2
Pontos : 95
Localização : Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  Malux em Qui Dez 13, 2012 7:51 pm

EGOSUPRI escreveu:

Pessoas como a Madre Tereza de Calcutá são movidas pelo amor, que as vivifica e as fortifica.
Quanto a Cristo, Siddhartha e Abrão, pessoas de carne e osso ou símbolos encriptados, não interessa. A referencia foi simbólica, tendo em conta os mitos associados aos mesmos. Pensei que compreendesse onde queria chegar, na minha opinião só não chega porque não quer. Vejo que está incomodado com as minhas respostas, não é isso que pretendo, nem tão-pouco converte-lo ao meu conceito. Quero apenas fazê-lo compreender, coisa que só conseguirei se o amigo Malux afastar-se do básico e redundante.

Malux escreveu:

Lol, qual é a lição que se apreende em se ser esmagado num acidente de automovél?
É verdade que o sofrimento pode ensinar lições mas é em circunstâncias ligeiramente diferente.
Se eu meto uma mau no fogo doi, e sei que na próxima vez devo evitar colocar a mão no fogo.
Ai está para apreender é necessário memória.

Como encarnações podem ensinar lições a vidas posteriores?
Só 99,999 % das pessoas não têm recordações de vidas posteriores.
Como criança que está a ser violada sabe que está a ser violado porque violou alguém numa vida anterior? Se ela não têm forma de saber, então ficamos só com um karma punitivo que não serve para ensinar lições.

E se o sofrimento é necessário para as pessoas apreenderem algumas lições porque devo ser penalizado quando dou sofrimento alguém?
De facto é bom que uma pessoa encontra idiotas cedo na vida para apreender a como lidar com eles mais tarde.
E se eu mimo uma pessoa só com bons tratos não estaria possivelmente a estraga-lá?

Quem decide o que é certo e errado? Dado que há um grau de variação de certo e errado para cada pessoa como sei o que é certo e errado para outra pessoa?
A outra pessoa até pode ser sadomasoquista e ter prazer com sofrimento.

Então o amigo acha que só o consciente importa? Deixe-me lembrá-lo que o inconsciente tem uma capacidade de retenção muito maior e um campo de actividade muito maior do que as faculdades conscientes. Quando passa por uma experiência poderá lembrar-se dela, mas se acedesse ao inconsciente viveria-a intensamente como da primeira vez! Veja os casos da hipnoterapia e da psicanálise. Obviamente que se existe um armanesamento destes no Homem, também o há no Universo, uma vez que somos miniaturas do mesmo, um microcosmos. A este registo na tradição chama-se Akasha, ou Registo Akashico ou Memória da Natureza. Todas essas experiências ficam guardadas e têm aproveitamento em vários níveis, não só no físico. O seu amigo terá outro aproveitamento, não aqui mas noutro plano. Para mais lhe digo que existe a teoria de que quando uma pessoa cumpre uma determinada função, sucumbe. Precisa de sucumbir para poder passar a outro nível na escada hierárquica da evolução.
Está demasiado preso a feridas do passado para abraçar uma visão exterior ao seu próprio circulo, para compreender o abstracto, tem que abstrair-se de sentimentos e das sensações. Esse é o mundo das sombras, das consequências. O mundo das Causas, da luz, esse está muito além dessas rudes concepções.

PAX

Eu nao estou incomodado, até estou a gostar discussão podes continuar a falar a vontade.
Para mim Jesus e Siddahartha nem como símbolos servem, Abrão então como símbolo é de fugir,
mas isso são outros 500.

Isso da aprendizagem inconsciente ainda não faz sentido para mim e explico-te porque.

Senão temos consciência no acto de aprendizagem, então somos apenas uns automatos.
Sendo assim agiriamos como robots seguindo uma linha traçada conforme o conteúdo de vidas passadas que está alojado no nosso inconsciente.

Se a lei kármica é facto certo e somos compelidos a apreender inconscientemente então não há escolha a não ser evoluir de acordo com os padrões morais que foram traçados pelo desejo desse Deus ou Maquinária.

Para não ser reduzido a um robot ou escravo, tenho de ter acesso aos conteúdos de memória de forma consciente e de ter a possibilidade de escolha sobre como interpretar esses conteúdos.
Ou sou apenas uma máquina em que Deus vai inserido as casetes morais progressivamente?
Se é assim, já que ele é tão poderoso, pergunto-me como não me dá uma moral perfeita logo de uma vez.

O que a Tininha disse. Passar pela mesma situação de sofrimento para apreender não me parece ser
eficaz. Como pode o amor ser ensinado através do sofrimento?

Eu pessoalmente nem a gostaria de ver a lei kármica implementada como um sistema de justiça
no meu pais.
O que estás a falar é o mesmo que a lei talião, mais conhecida por olho por olho e dente por dente.
Essa é uma lei de justiça primitiva que já existe no código de Hamuri desde 1700 a.c.

___________________________________
"Ó homem, conhece-te a ti mesmo e conhecerás os deuses e o universo"
avatar
Malux
Mestre
Mestre

Moderador | Mérito Qualidade |
Masculino

Número de Mensagens : 285
Reputação : 8
Pontos : 391
Localização : Lisboa

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  EGOSUPRI em Sex Dez 14, 2012 2:04 am

Malux escreveu:

Isso da aprendizagem inconsciente ainda não faz sentido para mim e explico-te porque.

Senão temos consciência no acto de aprendizagem, então somos apenas uns automatos.
Sendo assim agiriamos como robots seguindo uma linha traçada conforme o conteúdo de vidas passadas que está alojado no nosso inconsciente.

Eu não disse que se aprendia inconscinentemente, disse que o subconsciente retém muitos mais promenores do que a memória que usamos normalmente, são coisas muito diferentes. Essa aprendizagem obviamente que se faz em plena consciencia, o que pode acontecer é a aprendizagem não se dar enquanto seres materiais.
Malux, não compreendi o que quis dizer com a sua ultima frase, ainda assim observe a natureza, veja como os pássaros sem serem ensinados sabem como construir ninhos, veja como os bebés começam instintivamente a gatinhar, veja como existem inúmeras ocorrências que mesclam-se com um determinado grau de conhecimento e que fazem parte de cada ser. Onde será que se encontram esses saberes instintivos? Não houve transmissão, no entanto eles estão lá! A natureza é autómata, robótica, cíclica, cabe ao Homem vence-la, ou melhor aperfeiçoa-la em si mesmo. O Homem instintivo predomina este mundo, estamos mais adormecidos do que pensamos! Para a maioria basta ter os olhos abertos para considerar-se desperto, mas diga-me, quantas vezes tomou a sua refeição mecanicamente, quantas vezes não ficou em modo piloto-automático ao dirigir para casa ou para o trabalho, quantas vezes estamos a trabalhar sem que a nossa mente esteja focada nele? Analisando bem... até que somos autómatos! Quer fazer-me crer do contrário? " Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca. " Marcos 14, 38


Malux escreveu:
Se a lei kármica é facto certo e somos compelidos a apreender inconscientemente então não há escolha a não ser evoluir de acordo com os padrões morais que foram traçados pelo desejo desse Deus ou Maquinária.

Para não ser reduzido a um robot ou escravo, tenho de ter acesso aos conteúdos de memória de forma consciente e de ter a possibilidade de escolha sobre como interpretar esses conteúdos.

Todos nós somos esse Ser, fragmentos do mesmo.Porventura acha que o fenómeno das raças e nações são puro acaso da distribuição geográfica do Homem? Cada um tem a sua missão, cada um com a sua pedra bruta e com as suas ferramentas para torna-la cúbica e perfeita. Cada raça e cada povo tem a sua missão, tem o seu caminho a trilhar, mas esses vários caminhos lidarão a um só sítio.
Mas se o Malux quiser tem acesso a essas memórias, é só esforçar-se para lá chegar. Esse conhecimento nao está "vedado", encontra-se somente uma prateleira superior. Muitos precisam de crescer um bocadinho para lá chegar, outros usam bancos em cima de bancos e quando caem aleijam-se e geralmente partem a cabeça... enlouquecem.

Malux escreveu:
Ou sou apenas uma máquina em que Deus vai inserido as casetes morais progressivamente?
Se é assim, já que ele é tão poderoso, pergunto-me como não me dá uma moral perfeita logo de uma vez.

Imagine que Deus encontra-se a purificar-se e a melhorar-se através dos seus fragmentos. Ele está a conhecer-se através de todos nós.
Imagine um alambique gigante, onde ele quer purificar a sua própria matéria, retira uma parcela do seu sangue, gota a gota e coloca-as dentro do alambique.
Cada gotinha é um de nós, todos nós fervemos, evaporamos, condensamos e voltamos ao estado liquido. Desta vez mais puros! Sem as impurezas anteriores. E Deus bebe-se novamente, e pouco a pouco a sua essência vai purificando-se e tornando-se a pureza das purezas!
Ele não o torna perfeito da noite para o dia porque não pode. Neste momento o Malux encontra-se a ferver, a sofrer na inquietação e quando deixar de resistir a esse tormento e abraça-lo então começará a evaporar... passará a outra forma de existência, mais subtil, gasosa... para voltar ao que era, mas dessa vez sem as inquietações que se livrou quando fervia. A alquimia é de facto espantosa!

Malux escreveu:
O que a Tininha disse. Passar pela mesma situação de sofrimento para apreender não me parece ser
eficaz. Como pode o amor ser ensinado através do sofrimento?

Eu pessoalmente nem a gostaria de ver a lei kármica implementada como um sistema de justiça
no meu pais.
O que estás a falar é o mesmo que a lei talião, mais conhecida por olho por olho e dente por dente.
Essa é uma lei de justiça primitiva que já existe no código de Hamuri desde 1700 a.c.

Malux, não sei que idade tem, mas se a sua idade real é a que apresenta no perfil, então já deve ter tido provas suficientes de que através do sofrimento aprende-se muito.
Uma mãe que nutre verdadeiro amor pelo seu filho sofre, quando sofremos por alguém é porque gostamos dessa pessoa (por favor não resuma o exemplo ao amor carnal ou conjugal). Não é bem olho por olho dente por dente, mas mais "colherás o que semeares".
avatar
EGOSUPRI
Avançado
Avançado

Masculino

Número de Mensagens : 80
Reputação : 3
Pontos : 95
Localização : 4 periodo 4 revolução

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  Tininha em Sex Dez 14, 2012 11:35 am

Tornou-se bastante interessante este debate. Ainda não consegui "acertar" com a forma de fazer os quotes, mas pode ser que com a prática, vá lá Cool

EGOSUPRI escreveu:

Mas se o Malux quiser tem acesso a essas memórias, é só esforçar-se para lá chegar. Esse conhecimento nao está "vedado", encontra-se somente uma prateleira superior. Muitos precisam de crescer um bocadinho para lá chegar, outros usam bancos em cima de bancos e quando caem aleijam-se e geralmente partem a cabeça... enlouquecem.


EGOSUPRI, já me pôs a rir, acho que uso escadote, mas este de vez em quando fecha-se, é como a mola dos guarda-chuvas, vamos muito bem e de repente este fecha-se com a nossa cabeça lá dentro... acho que tenho a tendência para a vida me pregar partidas... o que vale é que devo ter a cabeça dura...LaughingVery Happy


Malux escreveu:
Ou sou apenas uma máquina em que Deus vai inserido as casetes morais progressivamente?
Se é assim, já que ele é tão poderoso, pergunto-me como não me dá uma moral perfeita logo de uma vez.

Malux, quando as coisas são dadas ou obtidas facilmente não tem graça e nada se aprende com isso. Não acha que seria demasiado enfadonho se todos fossemos perfeitos? Para que serve a escola e a aprendizagem? o Homem é um produtor natural de cultura, é isso que nos distingue dos animais, acho que entende onde quero chegar...

Malux escreveu:
O que a Tininha disse. Passar pela mesma situação de sofrimento para apreender não me parece ser
eficaz. Como pode o amor ser ensinado através do sofrimento?

Eu pessoalmente nem a gostaria de ver a lei kármica implementada como um sistema de justiça
no meu pais.
O que estás a falar é o mesmo que a lei talião, mais conhecida por olho por olho e dente por dente.
Essa é uma lei de justiça primitiva que já existe no código de Hamuri desde 1700 a.c.

Malux, acho que não leu bem o que escrevi, porque fiz uma crítica à teoria de "olho por olho, dente por dente", apoiando mais "colherás o que semeares", como expresso pelo EGOSUPRI. É no sofrimento que as pessoas mais reflectem. A título de exemplo, tens a ausência, quando morre alguém, quando um amigo vai paralonge ou te zangas com ele, quando terminas uma relação com alguém que gostas, só nessa altura nos damos conta da falta que nos faz e dos nossos erros, começamos a pensar "e se tivesse agido de outra maneira, quem dera poder voltar atrás, será que podia ter sido de outra forma..." è nessa base que me refiro ao sofrimento como aprendizado..
avatar
Tininha
Avançado
Avançado

Feminino

Número de Mensagens : 80
Reputação : 2
Pontos : 95
Localização : Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  Malux em Sex Dez 14, 2012 11:46 am

EGOSUPRI escreveu:
Eu não disse que se aprendia inconscinentemente, disse que o subconsciente retém muitos mais promenores do que a memória que usamos normalmente, são coisas muito diferentes. Essa aprendizagem obviamente que se faz em plena consciencia, o que pode acontecer é a aprendizagem não se dar enquanto seres materiais.
Malux, não compreendi o que quis dizer com a sua ultima frase, ainda assim observe a natureza, veja como os pássaros sem serem ensinados sabem como construir ninhos, veja como os bebés começam instintivamente a gatinhar, veja como existem inúmeras ocorrências que mesclam-se com um determinado grau de conhecimento e que fazem parte de cada ser. Onde será que se encontram esses saberes instintivos? Não houve transmissão, no entanto eles estão lá! A natureza é autómata, robótica, cíclica, cabe ao Homem vence-la, ou melhor aperfeiçoa-la em si mesmo. O Homem instintivo predomina este mundo, estamos mais adormecidos do que pensamos! Para a maioria basta ter os olhos abertos para considerar-se desperto, mas diga-me, quantas vezes tomou a sua refeição mecanicamente, quantas vezes não ficou em modo piloto-automático ao dirigir para casa ou para o trabalho, quantas vezes estamos a trabalhar sem que a nossa mente esteja focada nele? Analisando bem... até que somos autómatos! Quer fazer-me crer do contrário? " Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca. " Marcos 14, 38


Eu sei que o inconsciente têm os seus poderes, e posso usar isso como
um prova que não existem vidas passadas.
As pessoas quando estão hipnotizadas estão num estado sugestivo, e se um hipnotizador assume
que as pessoas têm vidas passadas e lhes sugere pra lembrar de uma vida passada então
o inconsciente fabrica por si uma vida passada.
A amigdala que é influenciado durante o processo hipnotico desempenha um papel importante
no que diz respeito as funções que geram os processos de emoções e a memória.
E está mais que provado que a criaçao de falsas memórias é um fenomeno comum que pode
decorrer das sessões de hipnose.

Uma das minhas funções do meu caminho iniciatico é mesmo superar parte desse automatismo.
Houve uma experiencia em que cortaram o cortex cerebral dos ratos, e eles conseguiam
procurar comida, abrigo e até mesmo reproduzirem-se.
Isto é assustador, quantas pessoas poderão estar a viver sem usar o cortex cerebral?
As pessoas podem quase passar uma vida inteira a irem da casa (abrigo) para o trabalho,
buscarem comida e terem filhos sem uso do cortex cerebral.
O grande desenvolvimento cortex cerebral no homem é que o distingue dos outros animais,
e lhe dá uma grande flexibilidade para ter comportamentos que vão além do instinto.


EGOSUPRI escreveu:
Todos nós somos esse Ser, fragmentos do mesmo.Porventura acha que o fenómeno das raças e nações são puro acaso da distribuição geográfica do Homem? Cada um tem a sua missão, cada um com a sua pedra bruta e com as suas ferramentas para torna-la cúbica e perfeita. Cada raça e cada povo tem a sua missão, tem o seu caminho a trilhar, mas esses vários caminhos lidarão a um só sítio.
Mas se o Malux quiser tem acesso a essas memórias, é só esforçar-se para lá chegar. Esse conhecimento nao está "vedado", encontra-se somente uma prateleira superior. Muitos precisam de crescer um bocadinho para lá chegar, outros usam bancos em cima de bancos e quando caem aleijam-se e geralmente partem a cabeça... enlouquecem.
Imagine que Deus encontra-se a purificar-se e a melhorar-se através dos seus fragmentos. Ele está a conhecer-se através de todos nós.
Imagine um alambique gigante, onde ele quer purificar a sua própria matéria, retira uma parcela do seu sangue, gota a gota e coloca-as dentro do alambique.
Cada gotinha é um de nós, todos nós fervemos, evaporamos, condensamos e voltamos ao estado liquido. Desta vez mais puros! Sem as impurezas anteriores. E Deus bebe-se novamente, e pouco a pouco a sua essência vai purificando-se e tornando-se a pureza das purezas!
Ele não o torna perfeito da noite para o dia porque não pode. Neste momento o Malux encontra-se a ferver, a sofrer na inquietação e quando deixar de resistir a esse tormento e abraça-lo então começará a evaporar... passará a outra forma de existência, mais subtil, gasosa... para voltar ao que era, mas dessa vez sem as inquietações que se livrou quando fervia. A alquimia é de facto espantosa!




A visão sobre ocultismo é hegeliana, pensas que nós somos parte de Deus e que Deus move-se
em direcção a um objectivo final.
Eu cá tenho uma opinião diferente que é mais semelhante ao Nietzsche.
Eu penso que somos parte de Deus, e vivemos eternamente enamorados pela dança cómica que ora
rodamos para um lado, ora rodamos para o outro.
Como Crowley diz em Liber Cordis Cincti Serpente:
"And I laid my head against the Head of the Swan, and laughed, saying: Is there not joy ineffable in this aimless winging?".


Actualmente eu divido o homem em 3 partes que chamo: Mundo Divino, Vontade e Universo Mecânico.
A nossa principal diferença é como compreendemos o Mundo Divino.
Para mim o Mundo Divino é um estado sem qualquer forma, desprovido de qualquer objectivo,
um estado de pura liberdade, semelhante ao "nada".
Quando uma espécie evolui e supera o anterior instinto ela entra em contacto com esse nada,
e causa uma mudança de acordo com a vontade (que é uma espécie de intermédio entre o Mundo Divino
e o Universo Mecânico).
Cada homem encontra-se sempre preso de determinado forma ao Mundo mecânico, e isso é natural pois sem
limitações tmb não haveria vontade.
Como Nicholas de Cusa e Giordano Bruno dizem um universo em absoluto movimento é igual a nada,
e nada é igual a não existência.

Sim acho que cada raça não têm missões especiais.
Eu até acho racistas e ofensivas as teorias das raças de certos ocultistas.
Será o período de escravatura da raça negra foi planeado por Deus?
Acho que fenomeno da distribuição das raças é fruto do poder de escolha do homem;
uns preferiram ficar no mesmo sítio e outros se moveram para um meio diferente.

EGOSUPRI escreveu:
Malux, não sei que idade tem, mas se a sua idade real é a que apresenta no perfil, então já deve ter tido provas suficientes de que através do sofrimento aprende-se muito.
Uma mãe que nutre verdadeiro amor pelo seu filho sofre, quando sofremos por alguém é porque gostamos dessa pessoa (por favor não resuma o exemplo ao amor carnal ou conjugal). Não é bem olho por olho dente por dente, mas mais "colherás o que semeares".


Eu discordo. Gostar é uma coisa (não estou a falar do aspecto carnal), Amar é outra.
Já que aprecias Jesus até posso citá-lo: "Ama o outro como se fosse a ti mesmo."
Há maes cuja felicidade está completamente dependente dos filhos, o ego delas agarrou-se a eles.
Ha maes que quando morre um filho passam a vida chorar auto-destruindo-se.
Como elas podem alcançar um estado de conscência de amor se elas não se amam a elas próprias?
O Filho se pudesse mandar uma mensagem certamente lhes dizia para apenas guardar uma recordação
doce dos momentos que passaram juntos e seguisse a sua vida sem martirizar.
Sofrer mental é uma estrategia mental inconsciente apreendida como qualquer outra.
Quando eramos bébés sabiamos que tinhamos de chorar (sofrer) para alcançar os cuidados dos nossos
pais.
O sofrimento tmb funciona como um motivador.
Se eu não estou a fazer o meu trabalho, a minha vozinha interior que diz que sou preguiçoso fazendo-me sentir desconfortável.
Se utilizamos sofrimento em situações desnecessários para mim não é aprendizado, é burrice
ou mesmo inconsciência.
Eu como sigo a máxima de conhecer-me a mim mesmo, tenho registos intensivos dos meus processos mentais e sei que em muitas situações sofri sem razão ou produtividade.

Há muito sofrimento desnecessário nesse mundo e não vejo como negar isso.
As pessoas que estão a passar fome em África estao a apreender que lição?
Novamente, uma criança que é violada apreende que lição?
Apreender que o processo de violação traz dor?
Mas qualquer pessoa com dois dedos de testa sabe isso.


Eu não percebo, num post anterior citaste o Buda como exemplo de alguem que alcançou o estado
de consciencia do amor, mas o objectivo da doutrina do Buda é alcançar um estado de indiferença
anulado o sofrimento e o desejo (novamente para não sofrer).

Quando perguntaram ao gurdjieff qual o papel do sofrimento no desenvolvimento humano ele respondeu assim:
"Existem duas classes de sofrimento: consciente e inconsciente. Somente um tolo sofre inconscientemente... No primeiro rio, a lei é somente para o rio, não para as gotas d'água. Nós somos as gotas. Num momento uma gota está na superfície, num outro momento está no fundo. O sofrimento depende da sua posição. No primeiro rio, o sofrimento é completamente inútil, porque é acidental e inconsciente... O sofrimento pode ser voluntário e somente o sofrimento voluntário tem valor. A gente pode sofrer simplesmente porque se sente infeliz. Ou pode sofrer por 'ontem' para preparar-se para o 'amanhã'. Repito: somente o sofrimento voluntário tem valor"

A frase "cada um colhe, aquilo que semeia" não é sempre verdadeira.
Tu podes semear algo, mas vir uma saraiva e destruir tudo ou a natureza pode arrastar as sementes pelo
vento semeando-as e tu colhes algo que não semeaste.
Os primeiros humanos vivam essencialmente da recolecção de frutos e não semeavam nada do que colhiam.
Sim aqui tmb estou a levar a expressão para um sentido metafórico.
As pessoas tiveram uma certa dificuldade em lidar com caos, por isso é que há tantas pessoas
com vontade de prever o próprio futuro.



Tininha escreveu: A título de exemplo, tens a ausência, quando morre alguém, quando um amigo vai paralonge ou te zangas com ele, quando terminas uma relação com alguém que gostas, só nessa altura nos damos conta da falta que nos faz e dos nossos erros, começamos a pensar "e se tivesse agido de outra maneira, quem dera poder voltar atrás, será que podia ter sido de outra forma..." è nessa base que me refiro ao sofrimento como aprendizado..

Nesse caso o sofrimento não te ensina nada, no máximo ele chama-te a atenção para algo.
Tu aprendes é com a tua estupidez e decerto não é Deus que vai cometer a estupidez por ti.
Uma pessoa pode sofrer quantas vezes quiser sem apreender com a sua estupidez.

""
Começamos a pensar "e se tivesse agido de outra maneira, quem dera poder voltar atrás, será que podia ter sido de outra forma..."
"" para fazeres isso precisas de ter uma memória consciente do que ocorreu.

___________________________________
"Ó homem, conhece-te a ti mesmo e conhecerás os deuses e o universo"
avatar
Malux
Mestre
Mestre

Moderador | Mérito Qualidade |
Masculino

Número de Mensagens : 285
Reputação : 8
Pontos : 391
Localização : Lisboa

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  Tininha em Sex Dez 14, 2012 12:52 pm

Fiquei decepcionada com o teu comentário (sem intenção depreciativa). Segundo a tua linha de ideias, então o ser humano é capaz de controlar os sentimentos, como o sofrimento, como explicas o amor? se já te apaixonaste por alguém e é um sentimento que consegues minimizar, se aprenderes, mas não tens o controle, de certeza que se sofre. Mas como aprendes a minimizar? passando pelas experiências.

O amor de mãe é um mau exemplo, é um amor transcendente, nunca a perda de um filho é superada, as mães/pais levam a vida para a frente, mas há um bocado delas que morre também. O que tu estás a falar é outra coisa, que tem a ver com a forma de ser e estar da pessoa, tem a ver com a negação da vivência do luto. É necessário fazer/viver o periodo de luto para o ultrapassares, é necessário encarar sofrimento, não contorná-lo, caso contrário o mais provável é não aceitar.

Apontas muitas vezes Àfrica, opode ser um falso moralismo, pergunto e onde moras? não te preocupas com essas pessoas? se todos observassemos à volta e fizesse um bocadinho para mudar ali mesmo ao lado com certeza resultaria mais. Porque se calhar não podes fazer muito por áfrica directamente (indirectamente sim), mas muitas vezes temos oportunidade de fazer aqui perto e não se faz, nem se fala.
avatar
Tininha
Avançado
Avançado

Feminino

Número de Mensagens : 80
Reputação : 2
Pontos : 95
Localização : Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  EGOSUPRI em Sex Dez 14, 2012 1:11 pm

Malux escreveu:

A visão sobre ocultismo é hegeliana, pensas que nós somos parte de Deus e que Deus move-se
em direcção a um objectivo final.
Eu cá tenho uma opinião diferente que é mais semelhante ao Nietzsche.
Eu penso que somos parte de Deus, e vivemos eternamente enamorados pela dança cómica que ora
rodamos para um lado, ora rodamos para o outro.
Como Crowley diz em Liber Cordis Cincti Serpente:
"And I laid my head against the Head of the Swan, and laughed, saying: Is there not joy ineffable in this aimless winging?".


Actualmente eu divido o homem em 3 partes que chamo: Mundo Divino, Vontade e Universo Mecânico.
A nossa principal diferença é como compreendemos o Mundo Divino.
Para mim o Mundo Divino é um estado sem qualquer forma, desprovido de qualquer objectivo,
um estado de pura liberdade, semelhante ao "nada".
Quando uma espécie evolui e supera o anterior instinto ela entra em contacto com esse nada,
e causa uma mudança de acordo com a vontade (que é uma espécie de intermédio entre o Mundo Divino
e o Universo Mecânico).
Cada homem encontra-se sempre preso de determinado forma ao Mundo mecânico, e isso é natural pois sem
limitações tmb não haveria vontade.
Como Nicholas de Cusa e Giordano Bruno dizem um universo em absoluto movimento é igual a nada,
e nada é igual a não existência.

Sim acho que cada raça não têm missões especiais.
Eu até acho racistas e ofensivas as teorias das raças de certos ocultistas.
Será o período de escravatura da raça negra foi planeado por Deus?
Acho que fenomeno da distribuição das raças é fruto do poder de escolha do homem;
uns preferiram ficar no mesmo sítio e outros se moveram para um meio diferente.

Não consigo ver uma obra tão organizada sem nenhum fim aparente. De facto as nossas visões nunca poderão encontrar um consenso final, só até certo ponto.
Quanto a isso, respeito as suas convicções pessoais e ausento-me de dizer o que quer que seja sobre elas. O Malux, jovem interessado nestes temas, pelo menos assim o considero, aproveite a juventude e inicie-se numa escola de pensamento presencial. Faça-o o quanto antes, se tiver oportunidade, pois corre o risco de certas ideias cristalizarem. No final, essa cristalização não lhe trará bem nenhum.

Malux escreveu:

Eu discordo. Gostar é uma coisa (não estou a falar do aspecto carnal), Amar é outra.
Já que aprecias Jesus até posso citá-lo: "Ama o outro como se fosse a ti mesmo."
Há maes cuja felicidade está completamente dependente dos filhos, o ego delas agarrou-se a eles.
Ha maes que quando morre um filho passam a vida chorar auto-destruindo-se.
Como elas podem alcançar um estado de conscência de amor se elas não se amam a elas próprias?
O Filho se pudesse mandar uma mensagem certamente lhes dizia para apenas guardar uma recordação
doce dos momentos que passaram juntos e seguisse a sua vida sem martirizar.
Sofrer mental é uma estrategia mental inconsciente apreendida como qualquer outra.
Quando eramos bébés sabiamos que tinhamos de chorar (sofrer) para alcançar os cuidados dos nossos
pais.
O sofrimento tmb funciona como um motivador.
Se eu não estou a fazer o meu trabalho, a minha vozinha interior que diz que sou preguiçoso fazendo-me sentir desconfortável.
Se utilizamos sofrimento em situações desnecessários para mim não é aprendizado, é burrice
ou mesmo inconsciência.
Eu como sigo a máxima de conhecer-me a mim mesmo, tenho registos intensivos dos meus processos mentais e sei que em muitas situações sofri sem razão ou produtividade.

Essas mães ficaram prezas na depressão, o objectivo é romper essa nuvem negra que obscurece a visão e a mente das pessoas, difícil de fazer mas uma vez verdadeiramente vencida, é enterrada para sempre. Acredito que nas próximas vidas bem como na actual, uma mulher vencedora como esta, não terá tanta dificuldade em recompor-se de uma tragédia e seguir em frente.
Muitas vezes os bebés não choram com sofrimento. Para chorar não é preciso sofrer. Os bebés na maioria das vezes utilizam o choro como recurso mecânico para chamar a atenção, uma vez que não conseguem falar. Quantas vezes se vêm bebés a "chorar sem lágrimas"? Se o Malux tiver filhos, verá o que lhe digo, uns traquinas! Laughing
É isso mesmo Malux, o sofrimento pode ser um motivador! Cabe a quem aprende a lição usá-lo em proveito da produtividade.


Malux escreveu:
Há muito sofrimento desnecessário nesse mundo e não vejo como negar isso.
As pessoas que estão a passar fome em África estao a apreender que lição?
Novamente, uma criança que é violada apreende que lição?
Apreender que o processo de violação traz dor?
Mas qualquer pessoa com dois dedos de testa sabe isso.

A evolução da humanidade tem sido feita com esforço. Comunidades recolectoras mudavam de sítio para alimentarem-se, passaram por climas adversos porque se não o fizessem morreriam. Outras comunidades não precisaram de esforçar-se tanto, basta rever brevemente um livro de História para ver isto. Destes dois grupos qual considera ser mais rico em experiência e mais forte na resistência da adversidade? Obviamente que o primeiro, autênticos sobreviventes da Natureza. Não é lógico esses dominarem os outros?
O facto de muitos adultos hoje envolverem-se em união e solidariedade adveio de experiências traumáticas na infância. Não se aprende apenas o sensível aos sentidos, aprende-se a reconhecer no próximo o próprio. "Eu sofri, não quero que sofras o mesmo, proteger-te-ei dessa experiência!" - sofrida mas produtiva.


Malux escreveu:
Eu não percebo, num post anterior citaste o Buda como exemplo de alguem que alcançou o estado
de consciencia do amor, mas o objectivo da doutrina do Buda é alcançar um estado de indiferença
anulado o sofrimento e o desejo (novamente para não sofrer).

A meta Cristã é a mesma Malux. Ao chegar à esfera Cristica, essencialmente mental (não leia mental como as nossas medíocres qualidades psíquicas).
Nesse estado, depois de deixarmos Malkuth e Yesod, o físico e o emocional, e finalmente conquistarmos o mental, onde tudo é uno e não existe sofrimentos (pois foram deixados para trás nas esferas já referidas) aí somos o mesmo que Cristo é. O estado Cristico não interpreta diversidade, mas sim unidade. Indiferença para o bom ou para o mau. Num breve exemplo: Á beira de um percepicio encontra-se uma pessoa muito querida ao Malux e ao lado a pessoa que menos gosta neste mundo. Estão prestes a cair ao mesmo tempo. O Malux só tem a oportunidade de salvar uma. Qual salvaria no estado normal? A pessoa que mais gosta - claro está. Mas se tivesse atingido o estado Cristico, não olharia quem é que lá estava. Salvaria aquela que estaria mais perto de si, porque salvar quem mais gosta ou menos gosta não importaria, ambos são o mesmo.


Malux escreveu:
A frase "cada um colhe, aquilo que semeia" não é sempre verdadeira.
Tu podes semear algo, mas vir uma saraiva e destruir tudo ou a natureza pode arrastar as sementes pelo
vento semeando-as e tu colhes algo que não semeaste.
Os primeiros humanos vivam essencialmente da recolecção de frutos e não semeavam nada do que colhiam.
Sim aqui tmb estou a levar a expressão para um sentido metafórico.
As pessoas tiveram uma certa dificuldade em lidar com caos, por isso é que há tantas pessoas
com vontade de prever o próprio futuro.

Agora até me fez rir! Laughing Olhemos num sentido alegórico e não num sentido literal.
avatar
EGOSUPRI
Avançado
Avançado

Masculino

Número de Mensagens : 80
Reputação : 3
Pontos : 95
Localização : 4 periodo 4 revolução

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  EGOSUPRI em Sex Dez 14, 2012 1:15 pm

Tininha escreveu:Fiquei decepcionada com o teu comentário (sem intenção depreciativa). Segundo a tua linha de ideias, então o ser humano é capaz de controlar os sentimentos, como o sofrimento, como explicas o amor? se já te apaixonaste por alguém e é um sentimento que consegues minimizar, se aprenderes, mas não tens o controle, de certeza que se sofre. Mas como aprendes a minimizar? passando pelas experiências.

O amor de mãe é um mau exemplo, é um amor transcendente, nunca a perda de um filho é superada, as mães/pais levam a vida para a frente, mas há um bocado delas que morre também. O que tu estás a falar é outra coisa, que tem a ver com a forma de ser e estar da pessoa, tem a ver com a negação da vivência do luto. É necessário fazer/viver o periodo de luto para o ultrapassares, é necessário encarar sofrimento, não contorná-lo, caso contrário o mais provável é não aceitar.

De facto o amor de mãe é um mau exemplo para o caso.

Tininha escreveu:
Apontas muitas vezes Àfrica, opode ser um falso moralismo, pergunto e onde moras? não te preocupas com essas pessoas? se todos observassemos à volta e fizesse um bocadinho para mudar ali mesmo ao lado com certeza resultaria mais. Porque se calhar não podes fazer muito por áfrica directamente (indirectamente sim), mas muitas vezes temos oportunidade de fazer aqui perto e não se faz, nem se fala.

Infeliz verdade!
avatar
EGOSUPRI
Avançado
Avançado

Masculino

Número de Mensagens : 80
Reputação : 3
Pontos : 95
Localização : 4 periodo 4 revolução

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  Malux em Sex Dez 14, 2012 9:57 pm

Tininha um homem não é capaz de anular totalmente as emoções porque se o conseguisse não seria
humano. Ter emoções faz parte de ser humano.


Tu dizes que passamos pelo sofrimento para apreender a sofrer, mas espera lá isso não é uma
pescadinha de rabo na boca? Então porque temos de sofrer em primeiro lugar?
O Deus que controla o universo deve ser muito sádico.

Eu não estou a rejeitar a importância que o sofrimento possa ter, eu estou a rejeitar o aspecto
metafíscio que estao a querer associar ao sofrimento.
Eu não estou a falar de todos casos de sofrimento em geral, mas estou a procura de alguns casos
sofrimento em particular que demistifique essas ideias.
Basta ter um caso de sofrimento em não se aplique a essa lógica que ela fica demistificada.
Eu não preciso falar de casos de sofrimento em geral, eu não estou a tentar fundamentar uma lei geral, vocês estão.

Estás a desviar a conversa com tema de África. Eu não tava a falar do aspecto moral.
Eu perguntei como a fome pode trazer alguma lição?
Não seria mais eficaz estarem de estomago cheio a enfrentarem outros desafios mais estimulantes?
Acho que aprendia mais.
Quando uma pessoa está com fome ou situações extremas quase só consegue pensar na sua sobrevivência,
o que é um nível de consciência muito baixo.


Voces ainda nao perceberam definitivamente o que quero dizer.
Se há uma única pessoa que sofre sem razão ou motivo então a teoria do karma vai por água abaixo.

E claro que situações de sofrimento pode servir de aprendizado, mas não todas.
Não há uma correlação directa entre sofrimento e aprendizado, então o karma não é válido.
O exemplo da mae talvez nao tenha sido o melhor exemplo para mostrar o meu ponto visto,
mas eu dou outro.

Sabe aquela mulher da Aústria que foi violada pelo pai durante mais de 20 anos?
É óbvio que no meio do sofrimento ela capaz de ter apreendido algumas coisinhas, desenvolvido
algumas capacidades.
Mas será possivél dizer que essa mulher esteve que durante esses 20 anos
enclausurada em casa a ser violada apreendeu mais do que a pessoa comum durante 20 anos?
Eu diria que apesar de ela sofrer 1000 vezes mais do que a pessoa comum, apreendeu menos 1000 vezes.

Coitada, deve ser ter sido uma pessoa terrível na vida passada.

E se o objectivo dessa lição era apreender a lidar com o sofrimento, pk ela nao foi apenas violada
va lá apenas 10 vezes durante 5 meses?
Penso que só algumas experiências traumáticas daria material para a lição, não precisaria de 20 anos
de tortura.

É um erro crassa dizer sofrimento é obrigatoriamente igual aprendizado e que todo o sofrimento é
util. O sofrimento pode até afectar a capacidade de aprendizado.
Uma mulher que foi brutalemente violada pode ficar com dificuldades em se relacionar com homens
para toda a vida. Ele até pode ter apreendido a lidar com uma situação sofrivél, mas e o que
desaprendeu?
Dar 1 passo a frente e 2 atrâs penso que não resulte.


___________________________________
"Ó homem, conhece-te a ti mesmo e conhecerás os deuses e o universo"
avatar
Malux
Mestre
Mestre

Moderador | Mérito Qualidade |
Masculino

Número de Mensagens : 285
Reputação : 8
Pontos : 391
Localização : Lisboa

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  EGOSUPRI em Sab Dez 15, 2012 4:12 pm

Malux escreveu:Tininha um homem não é capaz de anular totalmente as emoções porque se o conseguisse não seria
humano. Ter emoções faz parte de ser humano.

O Homem vulgar não, aquele que supera a sua natureza rudimentar, esse sim. "Não somos seres Humanos tendo uma experiência espiritual, somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

Malux escreveu:
Tu dizes que passamos pelo sofrimento para apreender a sofrer, mas espera lá isso não é uma
pescadinha de rabo na boca? Então porque temos de sofrer em primeiro lugar?
O Deus que controla o universo deve ser muito sádico.

Não sofremos em primeiro lugar, antes pelo contrário. Nós fomos emanados da totalidade do Ser. Onde, metafóricamente, abundava felicidade infinita. A queda do Adão, do Paríso (estado de Ser Primordial) é que gerou o contrário.

Malux escreveu:Voces ainda nao perceberam definitivamente o que quero dizer.
Se há uma única pessoa que sofre sem razão ou motivo então a teoria do karma vai por água abaixo.

E claro que situações de sofrimento pode servir de aprendizado, mas não todas.
Não há uma correlação directa entre sofrimento e aprendizado, então o karma não é válido.
O exemplo da mae talvez nao tenha sido o melhor exemplo para mostrar o meu ponto visto,
mas eu dou outro.

Sabe aquela mulher da Aústria que foi violada pelo pai durante mais de 20 anos?
É óbvio que no meio do sofrimento ela capaz de ter apreendido algumas coisinhas, desenvolvido
algumas capacidades.
Mas será possivél dizer que essa mulher esteve que durante esses 20 anos
enclausurada em casa a ser violada apreendeu mais do que a pessoa comum durante 20 anos?
Eu diria que apesar de ela sofrer 1000 vezes mais do que a pessoa comum, apreendeu menos 1000 vezes.

Coitada, deve ser ter sido uma pessoa terrível na vida passada.

E se o objectivo dessa lição era apreender a lidar com o sofrimento, pk ela nao foi apenas violada
va lá apenas 10 vezes durante 5 meses?
Penso que só algumas experiências traumáticas daria material para a lição, não precisaria de 20 anos
de tortura.

É um erro crassa dizer sofrimento é obrigatoriamente igual aprendizado e que todo o sofrimento é
util. O sofrimento pode até afectar a capacidade de aprendizado.
Uma mulher que foi brutalemente violada pode ficar com dificuldades em se relacionar com homens
para toda a vida. Ele até pode ter apreendido a lidar com uma situação sofrivél, mas e o que
desaprendeu?
Dar 1 passo a frente e 2 atrâs penso que não resulte.

Deixe-me repetir aquilo que tenho vindo a dizer desde o inicio... Karma = Causa Consequência

Vou tentar explicar de outra forma, vamos baseá-la em regras para seguirmos a lógica:

REGRA Nº1 - Um efeito, não pode ser gerado sem uma Causa.
REGRA Nº2 - Um efeito é uma pluralidade de manifestações em várias formas da Causa.
REGRA Nº3 - Ao remover a Causa do efeito, não há nada que permaneça!

Exemplo:

REGRA 1

a) Os seres vivos não podem existir sem Oxigénio.
b) O metal não pode existir sem minério.
c) O Universo não pode existir sem Criador.

REGRA 2

a) Ser-Humano, cães, ovelhas e baratas, são vários seres vivos, em diferentes formas todas elas vivificadas pelo Oxigénio.
b) O alumínio, o cobre, o ouro, são várias manifestações metálicas provenientes do minério.
c) Planetas, galáxias, sistemas solares, são vários corpos celestes, em diferentes compostos, todas elas provenientes do Criador.

REGRA 3

a) Se o oxigénio é removido. Não há seres vivos que possam existir.
b) Retirando o minério, nenhum tipo de metal pode existir.
c) Removendo o Criador, nada pode existir.

Se existe dor (efeito), então há que procurar a origem (Causa). Quando seguimos a lei Karmica, chegamos à causa e podemos preocupar-nos em remove-la.
Se o fizermos, nunca mais teremos essa manifestação na nossa existência. Essa é a importância do conhecimento dessas leis, que eu tenho estado a tentar demonstrar desde o inicio.


Última edição por EGOSUPRI em Sab Dez 15, 2012 4:47 pm, editado 1 vez(es)
avatar
EGOSUPRI
Avançado
Avançado

Masculino

Número de Mensagens : 80
Reputação : 3
Pontos : 95
Localização : 4 periodo 4 revolução

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  EGOSUPRI em Sab Dez 15, 2012 4:46 pm

Malux escreveu:

A ideia é parar o Karma, "cessar o balançar do pêndulo" como Louis-Claude de Saint-Martin referiu.
A ideia de dar a outra face é travar essa bola de neve. Não aumentando-a com as nossas reacções negativas.
avatar
EGOSUPRI
Avançado
Avançado

Masculino

Número de Mensagens : 80
Reputação : 3
Pontos : 95
Localização : 4 periodo 4 revolução

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Segredo e a lei da atracção

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum